No mundo virtual... inúmeras possibilidades.

6243755632_IMG_2758.JPG

O relacionamento terminou.  Entre lágrimas no travesseiro uma pergunta não quer calar: quero ficar sozinha? Passado alguns dias, novas perguntas assolam a mente e o coração: onde posso conhecer alguém interessante? Será que me apaixono novamente?

A tecnologia é um recurso de aproximação que a cada dia ganha mais adeptos na forma dos sites de relacionamento.  Uma modalidade moderna e eficaz de conhecer pessoas, forjar encontros, fantasiar relacionamentos. E porque não, amar virtualmente?

Eu pensei que sabia tudo sobre as relações humanas. Inútil pretensão, estamos sempre aprendendo, descobrindo e revendo conceitos... apenas em movimento a vida é divertida. E eu, repentinamente, virei aprendiz de mim mesma no mundo dos relacionamentos virtuais.  Num simples enter posso estreitar distância, do mesmo modo que ao simples delete finalizo a existência dos amores efêmeros. – “Olá, eu sou Mark, gostei do teu perfil e quero te conhecer; eu sou Nanna, não sei se quero te conhecer, mas você pode me convencer; eu sou João fotógrafo português quero apenas conversar; eu sou Rafa, sou boa de conversa; eu sou Didier, não quero compromisso, apenas me divertir; eu sou Ana, busco um compromisso sério...”

Todos procuram alguém por motivos variados, dispostos a desafiar as distâncias e recriar os tempos. Um cardápio de intenções e personagens em busca de um script: os que só navegam nas madrugadas - casados, tarados ou casados tarados – os que movimentam-se nas sombras e não se deixam ver claramente; os solitários, que precisam falar, contar de si, mas que não ouvem o outro, que jamais realizarão o encontro, incompetentes  que são para qualquer tipo de troca.

Ah, vez por outra se pode esbarrar no voyeur, um tipo clássico, cujo prazer é ver o outro, gozar com a imagem,  fixados que são em partes específicas do corpo. Estar na vitrine é condição única para o relacionamento no mundo virtual.  Ali estão também os ansiosos, ávidos por um afeto, mesmo que efêmero e falso, não importa, precisam de carinho e por isso são presas fáceis para os scammers, vigaristas que circulam nos sites apenas para dar golpes financeiros. Os scammers são fáceis de identificar, frequentemente dizem que estão em áreas isoladas, na África de preferência, envolvidos com atividades muito lucrativas, ou servindo ao exército americano no Oriente ou na Ásia. Pobrezinhos, tão carentes e desprotegidos... Os scammers, homens e mulheres, sempre contam uma tragédia pessoal; identificam a vítima como sua alma gêmea e apesar de pouco criativos e repetitivos nas mensagens que enviam, resistem e quando descobertos e denunciados retornam com novo perfil, semelhante ao anterior, porque são invencíveis, sobrevivem da angústia e esperança de quem não se suporta só. Há na internet vários recursos, sites, blogs, que auxiliam a identificação desses vigaristas.  

É fácil também encontrar os enganadores, experts em sedução, transitam no limiar do êxtase e da dor. Aproximam-se cheios de promessas em troca de carícias virtuais, gozos esporádicos e inconfessáveis desejos; poderiam frequentar sites eróticos, mas seu tesão só sobrevive da sedução de pessoas comuns, que aprisionadas, se lançam num voo cego e vez por outra se deixam apaixonar. O enganador enreda sua vítima, que mesmo suspeitando cede, cede, concede até que o golpe final acontece; um golpe seco, uníssono, fatal na pressão do delete... Sempre me pergunto: o que dói mais: o golpe no bolso ou no coração? A combinação dos dois pode ser irremediável...

A boa notícia é que apesar dos percalços é possível também encontrar as pessoas que estão ali para trocar experiências, conversar e, eventualmente, iniciar um relacionamento e os que procuram alguém para se apaixonar e viver um grande amor.

No mundo virtual a primeira atração é racional; as fotos agradam, mas são as informações do perfil que definitivamente atraem. Numa “balada” a primeira atração é imediatamente física. No mundo virtual tudo aparentemente pode ser muito rápido, mas também é necessário um tempo de maturação para a primeira atração se confirmar na troca de mensagens, nas conversas visuais.  É claro que temos de considerar que no mundo virtual eu digo ao outro apenas o que quero que ele saiba; ou seja, eu posso apresentar uma fantasia de mim mesma. Mas também no mundo real isso acontece...Tudo é um jogo de oportunidades e desvelamento.

Tal como o GPS que facilita o acesso aos lugares remotos, mas não identifica os perigos no caminho, a tecnologia da comunicação transpõe o obstáculo da distância e do tempo, aproxima as pessoas, mas não consegue ler corações e mentes. Essa é uma tarefa única e exclusiva da percepção humana, sem intermediários, e todo cuidado é pouco ao fazê-la... É difícil? Sim, é; mas, vai que acontece...