Nova York, paixão antiga

Como vim parar nessa cidade louca que nunca pára?

Em 1996, eu tinha 7 anos, meu irmão estava fazendo intercâmbio na Filadélfia e minha mãe decidiu que vínhamos para seu aniversário. Era verão, um calor dos infernos pra uma criança chata de 7 anos que só queria saber de lojas de brinquedo e bichos de pelúcia.

Mesmo com toda chatisse que uma criança nessa idade tem, fui à museus, Estátua da Liberdade e também aos musicais da Broadway, ahhh os musicais da Broadway... Como toda criança, super fã da Disney fui assistir a Bela e a Fera, não entendia uma palavra de inglês, mas também não era necessário, nessa época já me comunicava com os palcos e a música muito bem.

Alguns anos depois voltei no Outono, dessa vez reclamava do frio. Mas sempre encantada em como a cidade funciona, tudo acontece e nada pára. E dessa vez mais museus, mais peças, mais prédios enormes para visitar, que cidade linda!

A vida mudou de rumo várias vezes, da paixão pelo teatro fui para o design, depois veio a paixão pela arquitetura e um pouco mais tarde o teatro estava de volta, com toda força, me fazendo lembrar dos musicais da Broadway, me fazendo chorar em cada término de musical que eu fazia. Não queria parar, queria muito mais... e fui correr atrás!

Em Novembro de 2013 me matriculei em um workshop de teatro musical em Nova York, e em Janeiro embarquei, mas sabia eu que era o começo que uma linda história! Respirei teatro durante duas semanas, entre aulas e peças pra assistir eu não parava, meu coração batia cada vez mais forte e por mais que o corpo estivesse cansado de todas as aulas de dança e canto, eu não queria parar. Alguns dias antes de voltar para o Brasil fiz teste pra um curso profissional de teatro musical, só pra ver como era e 3 dias depois voltei para o Brasil.

Um mês após voltar ao Rio, ainda meio perdida e sem saber o que fazer, recebi um email da escola dizendo que fui aprovada para o curso... PARA TUDO! Óbvio que meus pais primeiro falaram e não existia nenhuma possibilidade de eu vir morar em Nova York sozinha por 6 meses, mas daí consegui convencê-los e embarquei. Novembro de 2014 eu estava de volta, mal sabia eu que voltava "de vez".