O Glamour da Informação

Imagine ser nominada para o Oscar de melhor atriz !

Por mais que a mídia especule, apenas você conhece a real jornada que a levou ao red carpet, e certamente não é o espelho do que a plateia vê. O coração palpita, a ansiedade é tanta que abafa lembranças doloridas. Mais do que nunca é preciso focar na estatueta para evitar que a pressão se torne inimiga. Então chamam seu nome, você foi escolhida!...mas ninguém aplaude... e o que é pior, não te dão a estatueta no momento único registrado por todos os flashes.

Você estava fora de foco.

No mundo de Hollywood jamais faltaria tal glamour, mas infelizmente essa é uma cena frequente na vida de mães especiais.

Quando minha filha Skye completou seis meses eu engravidei da Summer, e as surpresas da vida me tornaram Mãe Especial e Expatriada na Alemanha. Não era a minha primeira experiência longe da família, mas o choque cultural e o não domínio da língua foram fatores agravantes do isolamento. Com duas bebês e um marido que retornava às suas raízes rígidas, eu sofri pela falta de informação e questionamentos cruéis sobre a culpa da Summer ter defeito no coração e Síndrome de Down. Vivi a solidão acompanhada.

Esse novo roteiro de vida foi dirigido pela intuição de alguém que aceitou suas fragilidades passando pela negação, indignação e depressão, até chegar a vontade de evoluir e assim voltar a ser a mulher que todos consideravam forte e que eu já não reconhecia.

Foram três anos e meio tentando me ajustar ao que incomodava, um sistema politicamente correto onde a falta de empatia refletia resquícios da cultura da perfeição.

Retiro rótulos, rasgo papéis, não me apego a definições. Esse virou meu mantra enquanto eu escrevia o Blog 123edaí nas madrugadas solitárias.

Ao longo dos anos descobri que aquele incômodo não significava que eu estava certa em tudo e o mundo errado, mas que era preciso realizar mudanças.

A primeira imperfeição a ser assumida não foi a da minha filha e sim a minha, as intolerâncias e fraquezas. Só assim me tornei mais forte e empática para orientar a família e amigos.

Mas estamos em sociedade e acredito que nenhuma criança merece viver em uma bolha familiar protetora. A vivência reafirma que aceitar a diversidade leva à prática da empatia, que para mim é um músculo que precisa se exercitado desde criança, todos os dias.

Eu queria que minha filha crescesse sentindo o calor humano que eu recebia através do blog. Assim, criei o grupo MBM, Mulheres e Mães Brasileiras em Munique.

Construímos uma rede de solidariedade e empoderamento da mulher. Ao longo dos anos descobri que estávamos todas no mesmo barco, mães especiais ou não, cada uma tinha seus desafios únicos e suas limitações em um país de cultura tão diferente da nossa.

Vivi os dois lados, de ter uma filha saudável e outra não. Não falo pela Síndrome de Down, mas pela falha no coração . Minhas prioridades mudaram totalmente, me anulei por muito tempo. Tenho consciência que me tornei 100% mãe especial porque foi PRECISO.

Infelizmente eu carreguei muito mais do que poderia, e a depressão me pegou mais forte, pois já estava ao meu redor desde os 5 meses de gravidez quando tentaram me convencer a abortar.

Hoje olho para trás e vejo os acontecimentos com mais clareza e a única coisa que mudaria seria a busca da informação. Por isso me tornei escritora de histórias infantis com enfoque em respeito à diversidade. Coloco-me à disposição para mães especiais e não especiais, pois nossos filhos não são mercadorias que possamos trocar ou devolver, e você, assim como eu, vai se preparar e se tornar uma mãe especial se assim for preciso.

Acima de tudo, acredite na sua intuição. Não é porque você é expatriada que a cultura do país em que vive é melhor que a sua ou que os seus valores. Se algo te incomoda, se informe e realize MUDANÇAS.

LUTE.

Screen Shot 2018-10-28 at 9.57.00 PM.png

Dea Barros - @dea.barros.writer

Mãe da Skye de 6 anos e Summer de 5 anos.

Escritora infantil produzindo o primeiro livro em inglês Heart Shaped Friendship, Embaixadora da Síndrome de Down e da Empatia, CEO da Livros For Kids Canada (https://www.livrosforkidscanada.com), Fundadora do Grupo MBM - Mulheres Brasileiras em Munique, blogueira  (http://123edai.blogspot.com/), publicitária, parceira pra tudo que for do bem e amiga que mesmo distante se faz presente.